Apresentação

Poesia Ú~ Dia Inú~ é um poema digital (em vários sentidos, como vão ver) escrito com o intuito megalómano e nada pretensioso (é preciso ver) de construir o primeiro poema útil do mundo (vamos lá ver).

Desde a Antiguidade Grega (que é onde tudo começa, inclusive os iogurtes, como a Danone fez questão de nos dar a conhecer num gesto magnânimo de antropologia cultural que vai directo para o palato) que toda a gente se anda a perguntar sobre a utilidade da poesia.

No Portugal de hoje, país onde existem 300 leitores/as de poesia, 600 poetas e 10 milhões de pessoas a dizer todos os dias que a poesia não serve para nada é quotidianamente difícil ser um poeta do quotidiano (Fonte: Instituto Nacional de Estadística).

Ainda assim os dois críticos literários e meio que desenvolvem o seu trabalho em Portugal (até à data de fecho deste texto não pude confirmar se ainda estão vivos) dizem que a poesia do quotidiano é o futuro. E como eu não quero perder o andamento da carruagem, serve o presente poema para me engajar na poesia da moda de forma multimodal (que é a forma mais divertida fazer as coisas).

LER O POEMA

Nota: No final da página que contém o poema há um espaço para comentários no qual incentivo os e-leitores e e-leitoras a dizer “Está giro” ou “É engraçado”.

Anúncios